Scanner3D da Topcon é usado em projeto de acessibilidade de edifícios públicos em Tulsa, EUA

 

O objetivo do projeto foi atender rígidos parâmetros de acessibilidade a pessoas com deficiência. A solução da Topcon permitiu um detalhamento minucioso do levantamento de dados de forma rápida e precisa.

O scanner GLS-2000, da Topcon, representada no Brasil pela Embratop, foi um instrumento chave no projeto de adaptação de alguns edifícios públicos da cidade de Tulsa (Oklahoma, EUA) para atender rígidos parâmetros de acessibilidade a pessoas com deficiência.

O grande desafio do trabalho era realizar a medição das estruturas com detalhamento minucioso de forma a apontar os locais que não atendiam às diretrizes da ADA – Americans with Disabilities Act, órgão direcionado a pessoas com necessidades especiais. “A execução desta medição levaria um tempo indeterminado sem o uso da tecnologia da Topcon, que também nos proporcionou maior exatidão dos dados, se comparada aos métodos tradicionais”, disse Shawn Collins, da SWA – Sisemore-Weisz & Associates, empresa contratada para a execução do projeto.

Cerca de 20 locais, como a sede dos bombeiros, o edifício do Tribunal de Justiça, o cemitério mais antigo da cidade, o call center do serviços de emergência 911, o Departamento de Polícia e a Prefeitura, passaram por uma detalhada avaliação de conformidade, utilizando o GLS-2000, da Topcon.

A quantidade das cenas de varreduras por estrutura variou de 10 a 300 e os dados gerados permitiram a análise correta das superfícies por parte dos profissionais envolvidos. “Nosso objetivo foi a captura dos dados para avaliar se uma determinada área de uma estrutura (calçada ou entrada de edifícios, por exemplo) cumpria todas as diretrizes estabelecidas na ADA”, completou Jimmie Hendrickson, gerente de projetos da SWA.

Fluxo de trabalho impressionante

Para cada local, Hendrickson disse que a equipe transportou o sistema de coordenadas oficiais da cidade de Tulsa, implantando os pontos de controle em todas as estações de escaneamento e importando o arquivo de coordenadas (.CSV) para a memória interna do GLS-2000. “Depois de criar linhas e contornos da face do edifício, geramos a nossa malha e salvamos o arquivo com o padrão utilizado pelo CAD – arquivo .DWG. Neste momento, abrimos o arquivo usando o Civil3D e trouxemos os itens criados no TopoDOT, – linhas, pontos, etc. Então, usamos o nosso modelo no Civil3D para fazer o acabamento, e enviamos o arquivo CAD completo para a equipe de arquitetura”.

Resultado bem- sucedido

Com esse arquivo em mãos, os arquitetos que trabalham com a cidade de Tulsa analisarão a nuvem de pontos, examinarão as superfícies em questão e determinarão os locais que não atendem às exigências estabelecidas pela ADA. “Este é um projeto que está no topo da lista dos trabalhos a fazer”, disse Shawn. “Foi um grande empreendimento e, devido aos parâmetros rígidos, realmente é um trabalho que não poderia ser realizado com técnicas de medições tradicionais. Felizmente, temos tecnologias, como o GLS-2000, para fazer um projeto como esse acontecer. Todos os envolvidos estão muito satisfeitos com os resultados”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *