Seja Bem-Vindo

Entre ou Cadastre-se

Meus Pedidos

Acompanhe!

Seja Bem-Vindo
Entre ou Cadastre-se

Meus Pedidos

Acompanhe!

Destaques

Semi-Novos

Locação

9 termos de scan-to-BIM que você precisa conhecer

Scan To BIM Laser Scanner movel NavVis VLX

Um mini glossário de termos básicos de Scan-to-BIM, terminologia essencial de BIM e a diferença entre BIM e outros conceitos como VDC e Gêmeos Digitais. Se você está aqui, provavelmente está pesquisando fluxos de trabalho de Scan-to-BIM para o seu negócio e ficando um pouco confuso com todas as siglas de três letras e terminologia especializada. Não se preocupe – este é um problema comum no campo da tecnologia 3D.

Para ajudar, este mini glossário irá guiá-lo por algumas ideias básicas que você precisa saber para continuar sua pesquisa. Vamos abordar ideias básicas de Scan-to-BIM, aprofundar em algumas terminologias essenciais de BIM e depois discutir a diferença entre BIM e ideias semelhantes como VDC ou Gêmeos Digitais.

Vamos começar.

Parte 1: Desvendando o Scan-to-BIM.

BIM

Esta sigla pode ser confusa, porque se refere a duas ideias separadas, mas inter-relacionadas. A primeira é Modelagem de Informações de Construção, ou a metodologia de criação de um modelo de informações de construção. A segunda é o resultado, ou o próprio Modelo de Informações de Construção.

O BIM é um conjunto de dados que inclui informações sobre as características físicas e funcionais do edifício. Geralmente assume a forma de um modelo 3D vinculado a um banco de dados com várias informações.

Um projeto BIM inclui modelos geométricos de elementos individuais de construção, como portas, janelas, vigas e assim por diante. Esses dados geométricos são vinculados à informações como materiais utilizados, localização e tamanho de cômodos e espaços, e documentos relacionados ao edifício e sua história. Um BIM também pode incluir dados sobre como esses elementos individuais se relacionam entre si e até mesmo como funcionam em sistemas abrangentes do edifício, como MEP.

Resumidamente, um BIM é um modelo 3D inteligente que oferece uma visão holística de um projeto para possibilitar a colaboração das partes interessadas. Permite que uma única parte interessada tome decisões em várias etapas do ciclo de vida do edifício e atualize o modelo central para que outras partes interessadas sempre tenham as informações mais recentes.

BIM

Scan-to-BIM

É o processo de usar scanners a laser para capturar informações dimensionais de um local ou objeto existente e, em seguida, usar essas informações para criar um BIM.

O Scan-to-BIM está se tornando muito popular na AEC (Arquitetura, Engenharia e Construção) porque resolve muitos problemas comuns no processo de modelagem de informações de construção.

Por exemplo: muitos edifícios mais antigos não possuem modelos CAD 3D atualizados ou até mesmo desenhos CAD 2D, necessários para criar um BIM. Um processo de Scan-to-BIM torna possível produzir um modelo detalhado e preciso. Também pode ajudar quando o estado físico de um novo edifício difere do modelo original. Você pode simplesmente escanear as mudanças e atualizar o modelo conforme necessário.

Parte 2: Terminologia BIM

Nível BIM

Refere-se ao nível de maturidade do BIM, bem como à extensão da colaboração das partes interessadas dentro do BIM.

Embora não haja um padrão oficial para o nível de BIM, ele geralmente é dividido em quatro níveis. A escala começa no 0 e termina no 3.

O Nível de BIM 0 significa quase ausência completa de BIM, onde as partes interessadas trabalham isoladamente e os dados são armazenados em modelos CAD 2D. Esse nível é raro ou quase inexistente.

O Nível de BIM 3 significa colaboração completa entre todas as partes interessadas. Elas trabalham em um modelo de informações de construção compartilhado em uma localização centralizada, permitindo-lhes eliminar possíveis conflitos. O modelo pode incluir “dimensões” extras além do modelo 3D, permitindo representar agendamento, custo e manutenção contínua.

LOA (Level Of Accuracy)

Nível de precisão em tradução livre, refere-se à faixa de tolerância aceitável para as medidas coletadas durante o processo de captura – bem como a faixa de tolerância de como essas medidas são representadas no modelo.

O Instituto de Documentação de Construção dos EUA (USIBD) – uma organização sem fins lucrativos de padronização – define cinco níveis em sua Especificação LOA.

  • LOA10 é o nível mais baixo. Significa uma faixa de tolerância de precisão entre 5 cm e 15 cm. Isso pode ser adequado para uma medição aproximada, comparável a medir um espaço a passos.
  • LOA50 é o nível mais alto. Significa uma faixa de tolerância de precisão entre 0 mm e 1 mm, o que se aproxima de níveis de precisão metrológica. Isso pode ser adequado para documentar artefatos em um projeto de patrimônio.

O melhor LOA para qualquer projeto scan-to-BIM dependerá das necessidades das partes interessadas. Também determinará as metodologias de varredura e modelagem que você usa. LOA20 e LOA30 são as faixas mais comuns especificadas para fluxos de trabalho de Scan-to-BIM.

LOD (Level Of Development)

Nível de desenvolvimento em tradução livre. Refere-se à profundidade das informações incluídas no modelo. O BIMForum, uma organização sem fins lucrativos de padronização, define quatro níveis em sua especificação LOD.

  • LOD 100 é o nível mais baixo. Significa que um BIM pode incluir uma representação genérica de um dispositivo de iluminação, informações sobre seu custo e uma indicação geral de colocação.
  • LOD 400 é o nível mais alto. Significa que o dispositivo de iluminação seria modelado em detalhes suficientes para você poder fabricar uma substituição. O BIM também pode incluir informações sobre o modelo do dispositivo, sua colocação e orientação exatas, e até mesmo os detalhes de sua montagem.

Assim como o LOA, o melhor LOD para qualquer projeto Scan-to-BIM dependerá das necessidades das partes interessadas. Uma vez estabelecido o LOD-alvo, as informações ajudarão a determinar as metodologias de varredura e modelagem que você usa para produzir o BIM em si.

Como o BIM difere de…

Modelo CAD 3D

Um modelo CAD 3D é um modelo espacial produzido em software CAD.

Assim como um modelo BIM, um modelo CAD 3D é uma maneira de representar uma estrutura do mundo real. No entanto, o modelo CAD 3D usa linhas “burras” para representar elementos de construção. As linhas não são agrupadas em objetos e não estão vinculadas a um banco de dados com outras informações sobre o edifício.

O BIM, por outro lado, usa “objetos” geométricos vinculados para representar elementos de construção. Esses objetos estão ligados a informações sobre as características funcionais do edifício, incluindo a localização do elemento, seus materiais, como se relaciona com outros elementos de construção, etc.

Gêmeo Digital

Um Gêmeo Digital é a representação virtual de um objeto físico ou processo. Em relação ao BIM, portanto, um Gêmeo Digital também pode servir como um modelo funcional de uma construção.

É muito parecido com um BIM maduro, pois requer informações dimensionais detalhadas sobre a construção, bem como dados sobre seus elementos físicos e sistemas.

No entanto, um Gêmeo Digital é um passo além do BIM, pois acrescenta a esses dados do ativo informações dinâmicas, muitas vezes em tempo real, de uma variedade de fontes. Pode incluir informações sobre mudanças no equipamento ou até mesmo fluxos de dados de sensores da Internet das Coisas (IoT) que podem medir informações como temperatura, níveis de gás ou movimentos.

Essas informações extras tornam o Gêmeo Digital útil para uma variedade maior de aplicações do que um BIM, como simulações de custos para mudanças propostas ou análises detalhadas das operações diárias.

VDC (Virtual Design and Construction)

Projeto e Construção Virtual em tradução livre. O termo refere-se ao uso de modelos digitais – incluindo BIMs – para permitir que as partes interessadas no projeto e construção trabalhem virtualmente em projetos de construção de edifícios.

Especificamente, o VDC é uma forma de planejar construções e coordenar o trabalho antes que as equipes cheguem ao local. A disciplina pode usar um BIM para planejar preços, programar para gerenciar dependências entre várias atividades e executar detecção de conflitos.

Este conceito está relacionado à modelagem de informações de construção, mas difere no resultado pretendido.

Enquanto o BIM está focado na criação do próprio modelo digital. O VDC descreve a metodologia de trabalhar com modelos de construção durante o processo de projeto e construção.

Sean Higgins é um escritor independente de tecnologia, ex-editor de publicações comerciais e entusiasta de atividades ao ar livre. Ele acredita que escrever de forma clara e livre de jargões sobre tecnologias 3D é um serviço público.

Rolar para cima
Precisa de ajuda?