Soluções Embratop para BIM

O que é BIM?

A sigla BIM vem de Building Information Modeling, em tradução livre é Modelagem de Informação da Construção.

O BIM não é um software em específico, o BIM é um processo que reúne, organiza e otimiza uma gama de softwares e procedimentos de modo que todas as informações referentes ao projeto em que o BIM é aplicado, podem ser acessadas, manipuladas e gerenciadas de forma colaborativa e integrada.

O National Institute of Building Standards– NIBS, define BIM como “uma representação digital das características físicas e funcionais de uma instalação e um recurso de compartilhamento de conhecimento que viabiliza a obtenção de informações sobre uma instalação, formando uma base confiável para que decisões sejam tomadas durante seu ciclo de vida, definido desde a sua concepção até a demolição”.

Uma vez que o BIM é aplicado em um projeto, todos os profissionais envolvidos passam a compartilhar das mesmas informações em tempo real durante todos os ciclos do empreendimento, que vai do projeto até as fases de manutenção.

Inicialmente o BIM foi muito associado a obras de edificações, mas o BIM pode ser aplicado a qualquer tipo de projeto de construção, como obras de infraestruturas e industriais.

Modelo 3D

O modelo 3D fornece a visualização tridimensional do empreendimento, basicamente é a maquete digital do projeto. Porém, para que o modelo 3D possa ser considerado parte do processo BIM, não basta apenas a sua visualização, o modelo 3D também precisa conter parâmetros quantitativos precisos.

Dessa forma, um modelo 3D BIM contém informações gráficas e um banco de dados com todas as suas quantidades parametrizadas. Dentro do processo BIM, o modelo 3D “responderá” em tempo real a qualquer alteração realizada, ou seja, qualquer mudança gráfica também mudará os valores no banco de dados (por exemplo, o tamanho padrão das janelas ou a largura de rolagem de uma via), da mesma forma a mesma alteração realizada numericamente no banco de dados, atualizará graficamente o modelo.

Importância do levantamento primitivo

Na modelagem 3D para obras de infraestrutura pode-se dizer que a pedra fundamental de todo o processo se dá na aquisição dos dados primitivos da área onde será realizada a obra. Um projeto parametrizado (com dados quantitativos) corretamente, desenvolvido sobre um levantamento que representa fielmente o terreno é o começo ideal para que o processo BIM possa ser o mais assertivo possível.

Atualmente os equipamentos de geotecnologia que permitem o levantamento do terreno primitivo de forma abrangente e precisa são Laser Scanner e ARP (Aeronave Remotamente Pilotada). Tais equipamentos possibilitam que o terreno primitivo seja representado digitalmente de forma precisa e fidedigna à realidade.

O uso de tal tecnologia também permite que o projetista desenvolva seu trabalho sob a forma mais atual possível do terreno de interesse, haja vista que os dados provindos do laser scanner e da ARP podem ser utilizados poucas horas após sua coleta em campo. Projetar sobre a forma mais atual do terreno fornece ao construtor dados precisos das quantidades de material que serão movimentadas na empreitada, tal assertividade impacta diretamente no custo e no prazo do projeto.

Os dados podem ser coletados com:

Laser Scanner terrestre

Modelo Topcon GLS-2000

Laser Scanner Móvel

Modelo Topcon IP-S3

ARP´s

Modelos DJI Panhtom 4 e Mavic 2

Nuvem de pontos do terreno

Dados coletados por laser scanner e/ou ARP, são transformados em uma nuvem de pontos, onde cada um dos milhões de pontos que a compõem possuem suas respectivas coordenadas 3D (Norte, Leste e Elevação). Formando assim uma representação gráfica georreferenciada em três dimensões do local de interesse.

Nuvem de pontos coletadas com ARP

 

Nuvem de pontos coletada com Laser Scanner Terrestre

 

A partir da nuvem de pontos, projeta-se a infraestrutura parametrizada, assim todos os dados volumétricos, associados aos custos serão verdadeiramente precisos e confiáveis.

Integração Topcon x AutoDesk

Os arquivos gerados diretamente pelos equipamentos Topcon, como por exemplo a nuvem de pontos do laser scanner no formato *.CLR, podem ser importados diretamente para os softwares Autodesk, por exemplo o software Autodesk Recap.

Importação direta dos arquivos Topcon no Autodesk Recap

 

Do Recap é gerado o arquivo *.RCP, formato de nuvem de pontos importado por todos os softwares de projeto da Autodesk, como por exemplo o Civil 3D ou Infraworks.

A partir daí, são realizadas todas as etapas de criação do projeto. Uma vez iniciado o projeto no Civil 3D, ou em atuação conjunta com o software Autodesk Infraworks, as informações do projeto parametricamente criadas, ou seja, tudo que é projetado contém informações espaciais, dimensionais e de custo.

Exemplo de projeto de via criado no Civil 3D

 

Exemplo de projeto de via criado no Infraworks

 

Como resultado da parceria criada entre Topcon e Autodesk, é possível exportar o projeto criado no Civil 3D diretamente para o formato *.MJF, necessário para que o projeto seja utilizado no software Topcon MAGNET Field e assim realizar a implantação de todo o projeto.

A ferramenta Export, permite que o projeto seja exportado diretamente para o MAGNET Field:

Opções de exportação do projeto a partir do plugin Topcon criado no Civil 3D

Seguindo o fluxo de processos resultantes da parceira Topcon e Autodesk, não há risco da perda de dados, além da garantia de que todas as informações definidas no processo BIM (como a nomenclatura e os estilos das camadas) não são perdidas na transição entre as plataformas Topcon e Autodesk.

Layers no Civil3D

Layers no MAGNET Field

Projeto de via importado no MAGNET Field com todas as informações

Conclusão

Diante do cenário atual que exige rapidez e assertividade de todos os participantes do processo de construção e execução de obras, sejam elas viárias ou civis, a utilização de ferramentas capazes se integrarem completamente aos processos BIM torna-se fundamental e necessária.

As soluções fornecidas pela Embratop garantem ao usuário que seus trabalhos estarão totalmente integrados aos processos atualmente exigidos pelas maiores empresas e construtoras do mundo. Soma-se a isso a forma mais fácil é rápida na aquisição de dados mais precisos e em maior quantidade que tais soluções fornecem a seus usuários.

Ferramentas integradas aos processos BIM necessitam de menor interferência humana, resultando diretamente na diminuição de erros ao mesmo tempo garantindo maior agilidade e confiabilidade na entrega dos produtos gerados, ao mesmo tempo atende às mais atuais exigências do mercado mundial da construção civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *