Com investimento de quase R$ 423 mi, complexo solar vai gerar 2,8 mil empregos no interior do Ceará

O empreendimento será dividido em cinco usinas e deve receber os primeiros aportes ainda neste ano

usina solar

Ao todo, o projeto prevê R$ 782,6 milhões de investimentos, com a participação de R$ 422,9 milhões do FDNE.

A Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) aprovou o financiamento de novo complexo solar no Ceará. O empreendimento, que terá cinco parques, receberá investimento de quase R$ 423 milhões oriundos do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE).

O complexo solar vai gerar cerca de 800 empregos diretos e 2 mil indiretos na fase de implantação. Quando estiver em operação, a estimativa é de que sejam 10 postos de trabalho diretos e 30 indiretos.

Denominadas Lightsource Milagres I, II, III, IV e V, as usinas terão 163,7 MW de potência instalada e ficarão no município de Abaiara, no Cariri.

As quatro primeiras etapas do complexo irão requerer investimento de R$ 145,2 milhões cada, sendo R$ 77,8 milhões financiados pelo FDNE.

Já o Lightsource Milagres V receberá R$ 201,7 milhões em investimentos, com R$ 111,7 milhões oriundos do fundo administrado pela Sudene.

Ao todo, o projeto prevê R$ 782,6 milhões de investimentos, com a participação de R$ 422,9 milhões do FDNE. A primeira liberação do Fundo deve ocorrer ainda este ano.

Impacto na Economia Federal

De acordo com a Coordenação-Geral de Fundos de Desenvolvimento e de Financiamento da Superintendência, o projeto também vai proporcionar “a geração de renda por meio do arrendamento de terras onde será implantado”.

Fundos de Financiamento

O Fundo de Desenvolvimento do Nordeste financia grandes projetos de infraestrutura e vem sendo um grande aliado da Sudene nas ações em prol do setor de energia renovável.

Segundo informações do superintendente da Autarquia, Evaldo Cruz Neto, os fundos regionais (FNE e FDNE) foram responsáveis, só em 2020, pelo repasse de R$ 8 bilhões para fomentar projetos de energias renováveis na área de atuação da Sudene.

Para o gestor, essas ações contribuem com a busca de soluções para a crise hídrica que o País vem enfrentando.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *